XAXADO MEU BEM, XAXADO! Hoje é dia de celebrar o nascimento do Grupo de Xaxado Cabras de Lampião – Há 24 anos na Praça Sergio Magalhães, numa segunda-feira, dia de movimentação e muito agito na cidade, já que era o dia da famosa feira semanal, acontecimento que converge gente de várias cidades e localidades para cá. Um grupo de artistas remanescentes do Movimento de Teatro Popular, tendo à frente o Sr. Anildomá Willans e sua companheira, a atriz e dançarina Cleonice Maria, fazia sua estreia, depois de quase um ano de pesquisa, preparação e ensaios, de um espetáculo que mistura a Dança do Xaxado, o Teatro e a Música, essa tocada ao vivo para marcar o ritmo e o passo do arrastado das Alpercatas.

                O grupo foi registrado como Fundação Cultural Cabras de Lampião e segue em atividade até os dias atuais, com seu espetáculo de teatro e danças e uma série de outras atividades que engrandecem a cultura local, como O Encontro Nordestino de Xaxado e desde 2012 produz um mega espetáculo de teatro ao ar livre chamado: O Massacre de Angico – A Morte de Lampião.

                Seu quadro de integrantes/associados se renova, mas a essência é mantida e o trabalho segue fazendo a diferença no trato da cultura no município. Mantém o Espetáculo Mistura Pernambucana com uma séria de danças populares, é ponto de cultura, no qual mantém aulas regulares de formação em Danças e tem os grupos de base: Grupo de Danças Gilvan Santos; Grupo de Xaxado Zabelê e o grupo de Crianças Herdeiros do Xaxado. A Fundação administra o Museu do Cangaço (Ponto de Memória) e o Sítio Passagem das Pedras, o berço de Lampião.

Fazer memória desta data e relatar fatos e curiosidades ao longo destes 24 anos de atividades, crescimento e luta por políticas públicas culturais acessíveis são marco neste bando da cultura do Nordeste, que tem levado o nome de Serra Talhada e de Pernambuco para o Mundo. Vida longa ao Grupo de Xaxado Cabras de Lampião.