O projeto “FREVO: (RE)CONSTRUINDO MEMÓRIAS DE NOSSA CULTURA”, que busca promover ações de salvaguarda do Frevo enquanto patrimônio cultural imaterial da humanidade, foi idealizado por Gil Silva, professor e passista do Frevo com mais 20 anos de atuação como dançarino, coreografo e multiplicador das danças populares.

As Atividades de educação patrimonial se darão por meio de aulas-espetáculo, teóricas, demonstrativas e participativas, de Frevo, incluindo palestra, demonstração dos passos e músicas de frevo, além da distribuição de material educativo para estudantes de escolas públicas localizadas nas cidades de Serra Talhada/PE e São José do Belmonte/PE.

O Frevo, que em 09 de fevereiro de 2020, chega há marca de 112 anos de existência enquanto linguagem que expressa a dança e a música representação genuinamente da cultura pernambucana e que teve seu reconhecimento como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO, em cerimônia realizada na cidade de Paris, França, no ano de 2012.

 “Esse reconhecimento é o resultado da riqueza do Frevo, que carrega consigo valor simbólico para a coletividade, envolvendo diferentes atores – músicos, passistas, foliões, ‘fazedores da cultura popular’, que o entendem para além das celebrações carnavalescas e o reinventam”. Diz Gil Silva.

A ideia da aula-espetáculo, com passistas, músicos e o palestrante/professor de frevo, é compreender sua trajetória e transformação, mostrando diferentes sentidos e valores, e as representações que configuram uma identidade para a população pernambucana, é (re)construir memórias. “Enriquecer a experiência com o Frevo e a apropriação deste bem cultural por um maior número de pessoas, com atividades que estimulam a vontade de observar, identificar e dialogar sobre os múltiplos sentidos que o constituem. É preciso transpor o Frevo para além do território em que ele surgiu: neste caso o Recife, e fazer com que este bem circule por outros territórios”. Comenta Gil Silva.

Em Serra Talhada, Gil Silva vem desenvolvendo um trabalho com aulas de Frevo gratuitas para crianças e adolescentes com o grupo chamado SERTÃO FREVO, com esse projeto, aprovado pelo FUNCULTURA/FUNDARPE – Secretaria de Cultura/Governo de Pernambuco ele busca a partir da construção de ambientes de aprendizagem, ampliar o sentido coletivo sobre o patrimônio Frevo. Apresentando os diferentes tipos de frevo e variantes, o passo e a poesia e ainda a distribuição de cartilhas educativas para os estudantes e bibliotecas das escolas participantes.

“Almejamos a compreensão do Frevo por meio de sua trajetória e transformação expressa através da demonstração da música e do passo, fornecendo um repertório de informações a serem trabalhadas pelas escolas participantes após a vivência da aula-espetáculo com a equipe que compõem a atividade. Vale ressaltar que o projeto terá acessibilidade para estudantes com deficiência auditiva, por meio de interpretação do português para a Libras em 02 das 10 escolas contempladas pela iniciativa”. Ressalta Flavia Vieira, coordenadora pedagógica do projeto que será executado logo que inicie o ano letivo em 2020.

Por Carlos Silva – Assessor de Comunicação e Imprensa