O Museu do Cangaço em Serra Talhada teve um expressivo número de visitantes nesta semana em que se celebra a Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco. Entre visitas de escolas, universidades, usuários do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e grupos de turistas independentes, inclusive uma comitiva com turistas inglesas contabilizamos mais de 700 visitantes, entre os dias 12 e 17 de agosto de 2019.

O Evento criado em 2008 pela FUNDARPE e busca criar um espaço para o diálogo entre diferentes instituições para difundir, valorizar e preservar o Patrimônio Cultural dos pernambucanos. Além disso, a data do evento foi escolhida em comemoração ao Dia Nacional do Patrimônio Histórico, que ocorre em 17 de agosto. A 12ª Semana do Patrimônio Cultural teve início na segunda-feira e trouxe o tema “Territórios Educativos e Culturais: diálogos possíveis”. O objetivo é dialogar sobre as relações entre os territórios educativos e culturais e o Patrimônio Cultural do estado.

O Museu do Cangaço vivenciou a semana com atividades como, visitas monitoradas, exibições de documentários alusivos ao cangaço e Lampião em nosso cine clube, apresentações culturais e o passeio “Nas Pegadas de Lampião”, visita guiada ao Sítio Passagens das Pedras local onde nasceu Virgolino Ferreira da Silva. Mantido pela Fundação Cultural Cabras de Lampião em Serra Talhada, berço do famoso cangaceiro e hoje Capital do Xaxado, o Museu do Cangaço é o portal de entrada para os que querem conhecer a cultura, a história e as potencialidades turísticas do sertão. Pelo seu trabalho voltado para as manifestações artísticas conquistou o selo Ponto de Cultura e Ponto de Memória, ampliando assim seu trabalho de inclusão social através da cultura e suas vertentes. Vale a pena conhecer o acervo e apreciar o passo a passo da história do Rei do Cangaço; de quebra você poderá adquirir livros, cordéis, camisetas e uma infinidades de artesanatos.

Agende sua visita pelo telefone: (87) 3831-3860 e/ou 99664.2964 ou ainda pelo e-mail: cabrasdelampiao@gmail.com

 Por Carlos Silva – Assessor de Comunicação da FCCL