O Grupo de Xaxado Cabras de Lampião tem no seu quadro de dançarinos um bisneto de cangaceiro, trata-se de Luís Carlos de Araújo Alves, bisneto de Izaías Vieira dos Santos, que entrou para o cangaço como Zabelê, um dos compadres e homem de confiança do bando de Lampião, Luís Carlos, trabalha como mecânico, mas é na arte dos antepassados que ele encontra alegria de viver.

Além de dançarino, é músico e ator, representa no espetáculo de Xaxado o cangaceiro Gavião, morto em 1929. O dançarino é bisneto do cangaceiro Zabelê, cuja história lhe foi contada com detalhes pelo seu pai. “Meu bisavô era coiteiro de Lampião. Ele era dono de um bar. Certa vez, ao receber Lampião, a Polícia cercou o local e começou um tiroteio. Nesse momento, Zabelê recebeu uma arma do próprio Lampião para se defender. A partir de então, ele não teve outra escolha, a não ser entrar no bando e seguir como cangaceiro”, conta.

O artista interpretou o bisavô no filme “Lampião e Fogo na Serra Grande”. Aliás, foi após o combate na Serra Grande, na divisa entre Serra Talhada e Calumbi, em novembro de 1926, que Zabelê se entregou à Polícia acreditando no perdão. Era tudo mentira. Ele acabou sendo condenado a 90 anos de prisão. Depois de cumprir 15 anos, recebeu um indulto do governador de Pernambuco Agamenon Sérgio de Godoy Magalhães e ficou livre. O ex-cangaceiro morreu aos 82 anos, em casa, após almoçar.

Sobre a sensação que está todo vestido de cangaceiro para dançar Xaxado, ele diz: “chega a dar arrepios. Tá no sangue, tá na raça”.