AS CORES DO XAXADO – No último sábado, dia 03 de fevereiro de 2018, o GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO posou para as lentes da câmara de Sebastião Costa para fazer as fotografias do material publicitário do grupo. As vestimentas do Bando da Cultura do Nordeste já tiveram as cores:
CAQUI – Equivocadamente, pois quem assim se vestiam eram as Forças Volantes que perseguiam os cangaceiros. É comum no imaginário popular atribuir o caqui aos cangaceiros.
MESCLA AZUL – Considerada “cor oficial” do cangaço que, na verdade, passou a ser assim após Lampião e os cangaceiros receberem as fardas do Exército Patriótico, em 1926, no Juazeiro do Norte, para dar combate a Coluna Prestes. Com o fim do Exército Patriótico, Lampião adotou as cores da farda para imprimir uma identidade no cangaço.
VESTIDOS BRANCOS COM ESTAMPA DE BOLINHAS – Inspirada nas clássicas fotografias de Maria Bonita nas imagens feitas pelo sírio libanês Abrahão Benjamin, no meados de 1936, nos sertões da Bahia e Sergipe. Os homens permanecem de roupas azuis grafitado, mas as mulheres renovam no visual para valorizar ainda mais a estética do cangaço.
O GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO prepara-se para turnê em Pernambuco, com a Aula Espetáculo com Assisão e os Cabras de Lampião no Projeto NO TERREIRO DA FAZENDA; em seguida o Bando da Cultura do Nordeste circulará pelas capitais nordestinas Maceió, Aracajú, João Pessoa, Natal e Fortaleza, com o Projeto ALPERCATAS CIRCULANDO; e no mês de dezembro fará uma turnê em São Paulo.