GRUPO HERDEIROS DO XAXADO – Crianças de 4 a 11 anos se aventuram no Xaxado, que é uma dança criada pelos cangaceiros, na década de 1920, nas ribeiras do Pajeú, nos terreiros das casas de fazenda de Villa Bella, atual Serra Talhada, localidade na qual veio ao mundo o comandante das caatingas, Virgolino Ferreira da Silva, vulgo Lampião. Esse espetáculo – norteado pela influência recebida dos grupos de Xaxado de Serra Talhada – intitula-se HERDEIROS DO XAXADO, formado por um elenco mirim, que assegura a perpetuação da dança de guerra dos cangaceiros, e mostra que desde pequeno os serra-talhadenses cultivam suas manifestações artísticas, preservando o legado da musicalidade, do Xaxado e das demais manifestações artísticas deixadas pelos cangaceiros/as é perpetuada de geração a geração. Esses pequenos potáveis também estão na Programação do 14º Encontro Nordestino de Xaxado.

O GRUPO DE DANÇA XAXADO DE PARNAMIRIM/RN, foi criado em 23 de maio de 2005 em parceria com a Fundação Parnamirim de Cultura e vem preservando o Xaxado como dança regional popular Nordestina, e mantém-se composto por 37 dançarinos/atores, além disso, desenvolve oficinas de treinamentos e capacitação em outros estilos de danças. O trabalho coreográfico do grupo Xaxado está sob a responsabilidade de André Batista (mestre fundador) e Nádson Brandão.
O Grupo de Danças Xaxado Parnamirim acumula em seus históricos alguns prêmios em participação de festivais pelo nordeste onde é reconhecido como um grupo autêntico, que tem sua dança apresentada de forma dinâmica e com embasamento histórico. Em 2019 sente-se honrado em mais uma vez se apresentar na Capital do Xaxado, a querida Serra Talhada, terra de Lampião, o maior expoente da dança de guerra dos bandoleiros do sertão; na programação  DO 14º ENCONTRO NORDESTINO DE XAXADO.

SERVIÇO: 14º Encontro Nordestino de Xaxado, que acontecerá nos dias 06, 07, 08, 09 e 10 de novembro, na Estação do Forró, com polos na Feira Livre, em Escolas públicas e no Sítio Passagem das Pedras – onde nasceu Lampião, em Serra Talhada – Sertão do Pajeú, com incentivo do FUNCULTURA/FUNDARPE / SECRETARIA DE CULTURA / GOVERNO DE PERNAMBUCO.

Por Carlos Silva