O Grupo de Xaxado Cabras de Lampião (Fundação Cultural Cabras de Lampião) comemora os seus 25 anos, trilhando um caminho de sucesso como divulgador da dança dos cangaceiros e uma entidade cultural bem sucedida, tendo em vista que o grupo é o maior propagador desta dança, e a Fundação, a realizadora dos maiores eventos culturais da região, e fomentadora do turismo lampiônico e na busca de políticas públicas para formação, difusão e geração de renda a partir das manifestações artísticas, e o legado cultural e histórico deixado pelo cangaço no Nordeste do Brasil.

Durante essas duas décadas e meia, o bando da cultura do nordeste têm se apresentado em inúmeras cidades. É atração em documentários, reportagens, entrevistas, séries de TV e produtoras de diversos países: Brasil, França, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Venezuela e Bélgica.

Fundado em 1995, em Serra Talhada, o grupo de Xaxado Cabras de Lampião tem o objetivo de preservar a memória da dança dos cangaceiros. Eles já se apresentaram em todas as regiões do país, a direção da FCCL esteve no Vaticano, Itália, em 2018 e, ano passado, o grupo foi ao México, sendo a única atração brasileira a se apresentar no Festival Internacional de Folclore Latino-americano, um dos maiores festivais de arte e cultura do mundo. O grupo já esteve, também, por duas vezes, na Venezuela.

O Xaxado transformou-se num show de arte que renovou e revolucionou a imagem do Rei do Cangaço e seu bando, mostrando o lado cultural, principalmente, do famoso Lampião, mantendo as origens conforme criadas pelos bandoleiros sertanejos. Os artistas do grupo representam os cangaceiros e as cangaceiras, ‘batizados’ pelas características de cada um, desde o Capitão Lampião e sua Maria Bonita, que encabeçam o espetáculo, a Sila, Zé Sereno, Corisco, Dadá, Luiz Pedro, Inacinha, Gato, Dulce, Zabelê, Enedina, Lídia, Zé Baiano, Durvinha, Meia-noite, dentre outros, e assim, reproduzem, no palco, como estes se divertiam nas caatingas, nos intervalos dos combates.

“É um espetáculo extremamente satisfatório e belo, direcionando o expectador a uma viagem no tempo pelo sertão, dentro de uma realidade cultural singular aos tempos de hoje”. Resume Cleonice Maria, coreógrafa e coordenadora.

Com trabalhos reconhecidos, não só no Brasil, mas também no exterior, a Fundação Cultural Cabras de Lampião, em Serra Talhada, terra natal do Virgolino Ferreira da Silva (vulgo Lampião), desenvolve ações concernentes aos múltiplos aspectos culturais do homem sertanejo, tornando-se especialista em historiografia do cangaço, na figura lendária de Lampião; na dança do Xaxado e na musicalidade.

A Fundação Cultural Cabras de Lampião é de personalidade jurídica, sem fins lucrativos e de finalidade cultural. Tornou-se Ponto de Cultura em 2008. Filiada a SBEC – Sociedade Brasileira de Estudiosos do Cangaço, a ARTEPE – Associação dos Realizadores de Teatro, de Utilidade Pública Municipal (pela Lei Nº 942/98) e de Utilidade Pública Estadual (pela Lei 12.402/2003).

É responsável pelos eventos: Encontro Nordestino de Xaxado; Projeto No Quintal do Museu; Projeto Minha Escola no Museu; Tributo a Virgolino – A Celebração do Cangaço; O Massacre de Angico – A Morte de Lampião; O Julgamento de Lampião – o que não aconteceu no século XX (realizado em 13 de abril de 2002); dentre muitos outros.

Desde 2001, mantém o Passeio Turístico Ecológico “Nas Pegadas de Lampião”- Sítio Passagem das Pedras, e em 2007, cria e mantém o Museu do Cangaço/CEPEC – Centro de Estudos e Pesquisa do Cangaço.

 

Por Carlos Silva Assessor de comunicação da FCCL Colaboração de Hícaro Nogueira.

Fotos Sebastião Costa