O MASSACRE DE ANGICO – A MORTE DE LAMPIÃO retratará os últimos momentos dos cangaceiros chefiados por Lampião, arranchados no leito de um riacho seco, na grota de Angico, Sertão de Sergipe, onde foi massacrado juntamente mais dez companheiros, entre eles, sua mulher, Maria Bonita, no dia 28 de julho de 1938.

Mas na construção do enredo são mostradas cenas do passado marcantes na história do Rei do Cangaço, como suas desavenças com o primeiro inimigo José Saturnino, seu encontro com o Padre Cícero para receber a patente de capitão do Exército Patriótico, uma das cenas será no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, sede do Governo federal da época, onde o presidente Getúlio Vargas determina o fim do cangaço, várias outras cenas ligadas ao imaginário popular, com a cabroeira dançando Xaxado, a traição de Pedro de Cândida, até culminar com a morte do casal mais famoso do cangaço, fazendo o expectador mergulhar na história, com uma arrojados efeitos especiais, numa nova concepção cênica digna de aplausos.

O MASSACRE DE ANGICO – A MORTE DE LAMPIÃO, nos dias 24, 25, 26, 27 e 28 de julho de 2019, na Estação do Forró, em Serra Talhada. Texto de Anildomá Willans de Souza / Direção Izaltino Caetano / Produção Fundação Cultural Cabras de Lampião.

Por Carlos Silva – Assessor de Comunicação da FCCL

Fotos Maxciel Rodrigues