Nós, artistas de periferia, artistas de rua, fomentadoras(es) de cultura negra, marginal e indígena, poetas marginais, coletivos artístico-culturais, brincantes, técnicas(os), produtoras(es), fazedoras(es) da cultura, trabalhadoras(es) informais,
microempreendedoras(es) individuais (MEI), autônomas(os), – enquanto mulheres, mães, pessoas em suas pluralidades de gênero e sexualidade, LGBTQI, negras(os) advindas da classe trabalhadora, cidadãs(ãos) residentes em lugares onde o estado se mostra menos efetivo em todas as periferias urbanas e rurais das 12 regiões de desenvolvimento de Pernambuco, estamos mobilizados ante à necessidade de ações emergenciais que prestem assistência financeira a nós trabalhadoras(es) das artes e cultura frente ao contexto de crise causado pela pandemia do Coronavírus – Covid-19, emergência de saúde pública de importância internacional nos termos da Lei Federal nº 13.979 de 06 de fevereiro de 2020.

Este documento é uma solicitação dos artistas das periferias do Estado de Pernambuco. Artistas estes que desenvolvem seus trabalhos nas ruas, nos ônibus ou em outros meios alternativos e/ou que através de coletivos organizam eventos que mobilizam suas comunidades. Tais reivindicações nascem da necessidade de um suporte emergencial a essa cadeia produtiva, além de pleitear, com base neste contexto de crise sanitária, a implementação de instrumentos simplificados que atendam de forma mais efetiva essa parcela da população, ou seja, que considere suas especificidades e mobilizações enquanto articuladores e consumidores, facilitando o acesso aos recursos governamentais.