Eric Gomes/Secult-PE/Fundarpe

Mais de 300 apresentações de artistas, agremiações, grupos e orquestras vão animar a folia no Estado

O Carnaval já está nas ruas das cidades de todo Estado. As orquestras de frevo, as nações de maracatu, os grupos de caboclinhos, os papangús, os afoxés e todas as expressões de nossa rica e diversa cultura popular já ocupam as festividades em dezenas de municípios, terreiros e equipamentos culturais. Em mais uma edição, o Governo de Pernambuco consagra neste período festivo a marca da valorização dos artistas, mestres e brincantes que representam a nossa identidade cultural. Este ano, o Carnaval recebe o investimento estadual na ordem de R$ 21 milhões. São cerca de 300 apresentações de artistas, agremiações, grupos e orquestras que vão animar a folia em mais de 51 municípios de todas as regiões. Em 2018, o Carnaval pernambucano recebeu 1.707.879 turistas e o desejo, em 2019, é superar esta marca.

Nomes consagrados da música nacional e regional estão escalados, fazendo parte do time vencedor desta maratona artística e musical que é o Carnaval de Pernambuco. Entre as atrações estão artistas como Fafá de Belém, Marrom Brasileiro, Mundo Livre S/A, Fulô de Mandacaru, Alceu Valença, Spok Frevo Orquestra, Lia de Itamaracá e Cristina Amaral. Nos polos municipais a população também poderá assistir aos shows de Geraldo Maia, Geraldinho Lins, Nonô Germano, João do Morro, Spock Frevo Orquestra e Josildo Sá, entre outros.

Outro importante marco do investimento estadual na folia deste ano é o repasse de recursos para os Carnavais do Recife e de Olinda; além do patrocínio ao maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada. O modelo do Carnaval de Pernambuco é exitoso e a cada ano está sendo mais aprimorado, proporcionando aos foliões pernambucanos e turistas uma das festas mais ricas e concorridas do País. Essa proposta garante a representatividade destas tradições em todos os polos da folia, bem como a circulação de grandes artistas que, também, em seus shows, divulgam nosso frevo ou simplesmente levam sua arte e sua produção ao povo, nesse momento que é também de muita diversão, liberdade e folia.

Esse grandioso evento, que reúne milhões de foliões do Brasil e do exterior, é executado pelo Governo do Estado, através das Secretarias de Cultura/Fundarpe, Turismo e Lazer/Empetur, além de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude; Secretaria de Políticas de Prevenção às Drogas; Mulher; Desenvolvimento Urbano e Habitação e Grande Recife. As Secretarias de Saúde e de Defesa social, além do Detran, são atores importantes nesse processo.

O secretário de Cultura Gilberto Freyre Neto destacou o modelo em conjunto das secretarias de Cultura/Fundarpe e de Turismo/Empetur que se juntam para promover o Carnaval no Estado. Começando com o edital que habilita os artistas a serem contratados pelas prefeituras do Estado. “Esse processo permite que o Estado faça a salvaguarda das manifestações que fazem sentido para o ciclo carnavalesco. Dentro de todos os artistas contratados, tivemos um grande número de parte do nosso Patrimônio Vivo. Em cima dessa energia que se gasta em Pernambuco é que conseguimos movimentar na escala de bilhões de reais a nossa economia”, destacou.

Jan Ribeiro

Jan Ribeiro/Secult-PE/Fundarpe

Durante a coletiva, o secretário Gilberto Freyre Neto destacou as parcerias da Secretarias de Cultura e de Turismo com as prefeituras dos municípios pernambucanos

O presidente da Fundarpe Marcelo Canuto fez um recorte do papel da Fundarpe no Carnaval, ressaltando a proteção da cultura popular norteou a formulação da grade de atrações. “Tivemos a preocupação de aprofundar o foco nas manifestações populares, começando pelo edital, que garante 35% de contratações sejam formadas pelos artistas e grupos da tradição. Tivemos uma parceria muito importante com todas as prefeituras, que saíram satisfeitas com os apoios dados”, disse. Canuto também destacou a movimentação nos equipamentos culturais do Estado, como a Torre Malakoff, Museu do Trem e Casa da Cultura, que abrigaram as manifestações culturais. Foram gastos, segundo o presidente, R$ 1,7 milhões somente nos encontros de cultura popular, que ocorrerão em diversos pontos do Estado.

CULTURA – O destaque da programação do Carnaval fica por conta dos artistas da cultura popular, entre eles, os titulados Patrimônios Vivos do estado, como Lia de Itamaracá, Caboclinho Sete Flexas, Maracatu Estrela de Ouro de Aliança, Maracatu Leão Coroado, Mestre Galo Preto, Sociedade Musical Euterpina Juvenil Nazarena (Orquestra Capa Bode), Troça Carnavalesca Mista Seu Malaquias, entre outros. Diversos artistas que representam nosso Carnaval também são destaque esse ano, como André Rio, Almir Rouche, Marrom Brasileiro, Maestro Forró e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, entre outros.

A convocatória de Carnaval este ano foi ampliada para receber propostas de artistas de todo o País e também sem restrições de gêneros artísticos. Este instrumento garante que todos tenham a chance de se apresentar no Carnaval de Pernambuco e que o Governo, enquanto responsável pelo fomento à cultura, consiga assegurar que nossa festa não se descaracterize, garantido cotas para que as Prefeituras levem para suas cidades representantes de nossas tradições, além dos artistas que eles sabem que promovem a diversão de sua população.

A convocatória foi uma chamada pública, feita em conjunto com a Secretaria de Cultura e Fundarpe e Secretaria de Turismo e Lazer, além da Empetur. Das 1.074 mil propostas inscritas, 975 foram habilitadas ao final do processo, que passaram a compor a lista de grupos e artistas que poderiam ser contratados pelo Governo para irem se apresentar nas centenas de palcos, polos e ruas de todas as regiões do estado.

As propostas inscritas foram apreciadas por uma Comissão de Avaliação composta por profissionais de notório saber, selecionados através de seleção pública. Para assegurar equilíbrio nas contratações, garantindo a maior parte das contratações seja de artistas e grupos mais ligados ao Ciclo Carnavalesco, a Convocatória também estabeleceu percentuais para contratação. De forma que grupos ligados à Cultura Popular (maracatus, caboclinhos, afoxés, etc) devem atingir 35% das contratações totais; seguido da categoria de “Música da Tradição Carnavalesca”, com 30%; “Orquestras de Frevo”, com 10%; “Dança da Tradição Carnavalesca”, com 5%; “Música Popular Brasileira”, com 15%; e “Outros Gêneros Musicais”, com 5% das contratações.

A folia nos municípios é uma realização das Prefeituras e dos grupos culturais independentes, cabendo ao Governo do Estado apoiar as programações, garantindo a participação de quem realmente anima as festas: os artistas. Neste formato, itens como montagem dos palcos, som, iluminação, segurança privada e ordenamento do trânsito são responsabilidades assumidas pelas Prefeituras, com o objetivo de proporcionar o melhor carnaval para artistas e público.

TURISMO – O carro-chefe da ação de promoção do destino Pernambuco neste Carnaval teve como mote a celebração do centenário do boneco gigante Zé Pereira, que deixou sua cidade natal, Belém de São Francisco, para celebrar, pela primeira vez, o Carnaval no Recife. Com isso, a Secretaria de Turismo e Lazer do Estado deu o pontapé inicial para a folia no Sertão do São Francisco, no último dia 10 de fevereiro. A ação teve como ponto alto esta quarta-feira, 27, com a chegada de Zé Pereira e Vitalina, sua companheira, de catamaran, desembarcando no Cais do Sertão, no Bairro do Recife, sendo recebido pelos bonecos gigantes de Olinda e do Recife.

Entre os brasileiros que curtiram a festa no Estado, os paulistas foram os que mais marcaram presença (27,52% do total de visitantes), enquanto entre os estrangeiros, os argentinos foram os líderes no número de turistas (39,19%). O gasto médio individual diário foi de R$ 231,37 dos turistas em geral. Já o tempo médio de permanência foi de aproximadamente quatro dias. A taxa de ocupação média nos equipamentos hoteleiros dos municípios ficou em 89,83%, sendo a expectativa atual de chegar a 90,83% de visitantes.

FONTE: CULTURA.PE